Avançar para o conteúdo principal

Açores - à deriva pelo oceano


São famosas as quatro estações num só dia, mas a fama não é correcta, numa só hora navega-se de um esplendoroso dia de primavera para um carregado dia de Outono, que se alivia com chuva forte mas rápida e dá lugar ao sol que enxuga as ilhas.
Há locais que estão tão impregnados em magia que ao viajar de novo para casa paira a ideia de se ter vivido a realidade de um sonho e não umas férias inesquecíveis.

Comentários

  1. Em Junho, passei sete fantásticos dias nos Açores, mais precisamente, na Ilha do Faial. Foi uma viagem repleta de sensações... Um dia destes, podemos trocar impressões sobre as quatro estações que ocorrem num curto espaço de tempo e, porque não, sobre a magia que envolve este Arquipélago, que ali se fundou, no meio do majestoso Oceano Atlântico.

    ResponderEliminar
  2. Una foto muy hermosa. Brumas de nostalgia en este otoño. Un gran saludo desde Madrid.

    ResponderEliminar
  3. Bem... o tempo passa e tudo se descobre! O meu feeling estava certo. A menina que me perguntou sobre os cetáceos na viagem inter-ilhas para a Ilha das Flores era tal como palpitei, mesmo escritora! E como do caminho da vida se faz a nossa história, desejo a continuação de muitas linhas escritas com narrativas interessantes...
    Continuo bem nos Açores, sempre a estudar e a mergulhar neste mar maravilhoso!!
    Abraço,
    Bruno Ivo

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Perahera - encontrar o maior festival do Sri Lanka

SEE BELOW FOR THE ENGLISH VERSION


Perahera Em Kandy é considerado o maior espectáculo e demonstração cultural do país, mas a versão indiscutivelmente menor que me tocou na zona de Aluthgama (talvez um vigésimo da sua dimensão)já deixa uma bela impressão. Sendo um festival budista que celebra o primeiro ensinamento de Buda depois da Iluminação, exibe em procissão uma das suas relíquias. Relaciona-se também com uma outra procissão em tempos considerada essencial para chamar a chuva. Os primeiros rapazes trazem longas cordas castanhas, são chicotes mas mais fazem lembrar um peludo animal comprido. A forma como o projectam no ar produz um som tremendo - sem nos bater, o som chicoteia. Uma vez que não guardam grande distância entre si, não é compreensível como conseguem não se maltratar uns aos outros ou mesmo a assistência acotovelando-se para os ver. Depois desta abertura surge o primeiro elefante. Vestem-no com uma indumentária carregada de electricidade, com luzes ocupando toda a sua cab…

A Cratera de Pinatubo - Filipinas

(English version below)
A subida à cratera Pinatubo consistiu em duas partes perfeitamente distintas.
Fizemo-nos à estrada ainda de noite, às cinco. Montados no jipe, aguardava-me a viagem mais dura num 4x4 de que tenho memória.
Deixa-se o alcatrão e as facilidades da vila de Botolan para se mergulhar numa extensão de areia cinzenta. O veículo cambaleava, e com ele os corpos, como bonecos. Logo de seguida, sem aviso, o piso torna-se tão pedregoso que é como se os pneus nos bombardeassem.
Ora bem, até aqui, foi divertido.
Chegou o rio, muito largo mas com pouca profundidade. Uns aldeões acabavam de o atravessar com um potente búfalo e carroça. O condutor pediu-lhes instruções – garantindo-nos portanto que ele não tinha certeza do que fazia. A ofensiva ao rio aconteceu a alta velocidade. Água espirrou por todo o lado, para dentro do jipe e das nossas coisas, mas isso por enquanto são tudo danos colaterais.
Quando, em terra firme, a velocidade aumentou, todos os passageiros deram um sal…

Ser indiana num país como a Índia

Arambol é uma praia no norte de Goa onde confluem pessoas do mundo inteiro. Nos últimos tempos a procura é maioritariamente russa, o que tem trazido uma fama diferente a Goa, nunca a melhorar, devido a desacatos e episódios violentos.Aqui, de dia e de noite, as pessoas passeiam-se sem pressas, parece um parque de diversões para personagens inverosímeis. O mexicano com problemas de álcool, o jovem casal português do Cacém que depois de ter emigrado 10 anos em Inglaterra, decididos a voltar a Lisboa, deixam-se ficar mês e meio para evitar o Inverno, o consultor de imagem de um importante político russo que faz oposição a Putin, um casal de ingleses acima dos 50 que se perdeu no tempo e nas drogas, a sueca atraente e atiradiça que se divorciou há menos de um ano e não esconde que procura sexo ocasional, uma jovem grávida de seis meses com o seu companheiro, ambos nórdicos, sem medo de nada, ou o argentino atormentado, arquitecto de hospitais, que anda há ano e meio a viajar porque carreg…